Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



06
Fev24

06/02/2024

por Quiquera

Foi estranho de tão natural.

Estava sentada, frente ao computador, ao lado a aparelhagem tocava uma canção ouvida centenas de vezes. Uma canção banal, não das que trazem recordações.

Lentamente fui acompanhando a letra e foi quando aconteceu. 

Senti-a, lenta e quente, a deslizar pela face: uma lágrima grossa.

Fiquei espantada! Eu, que só chorei em dois funerais na minha vida adulta, chorava agora com uma canção banal.

Ter-me-ia tornado sensível? 

Lembrei um dia em que, chegada da escola, encontrei a minha mãe deitada na cama, lágrimas copiosas a construir rios pela face fora. Ela a olhar o teto.

Perguntei se estava tudo bem

"Sim" respondeu "é só a música que é tão bonita".

Lembro da minha descrença traduzida no pensamento "outra discussão com o pai" e ir para a cozinha lanchar. 

Eu teria uns 14 anos, a minha mãe uns 50.

Tal como eu, que choro agora com música, 50 anos.

Concluo então que a questão não é a música, ou a sensibilidade. É a idade que nos retira algum travão às emoções. 

É então isto a pré-terceira idade. Uma espécie de segunda adolescência, mas carregada de experiências e no lugar dos sonhos vão surgindo recordações regadas a lágrimas que correm sem vergonha ou razão lógica. 

 

Quiquera

publicado às 00:41



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2024
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2023
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2022
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2021
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ